quinta-feira, 20 de julho de 2017

Viajar de avião / exterior (Será minha primeira vez)





Trabalho duro realizado


Como já escrevi em um post anterior sobre que o meu objetivo depois de alcançar a I.F será principalmente ter tempo para viajar (post) e claro, não vou me privar deste prazer durante a caminhada, já que as metas do ano foram batidas com folga, tanto de aporte quanto de patrimônio.


Para se ter um ideia o meu pensamento inicial em dezembro/2016 era que no dia 31/12/2017 tivesse R$47.849,00 (post) e pelo fechamento de agora estou com R$63.166,00 o que dá um aumento percentual de 32,01 % e olha que estamos no mês de julho, ou seja, espero bater os 90k em dezembro.


Mas alguns podem falar que alavanquei o patrimônio através da venda do automóvel, o que é verdade, no entanto se subtrairmos o valor da venda do veículo estarei ainda com R$44.166,00. E no mês que irá entrar passarei tranquilamente à meta anual sem depender do veículo, até por que está programado a restituição do IR e o pagamento de algumas verbas atrasadas (aleluia) e sim, o aporte será feroz.


Falando em metas dos aportes em que eram programados R$1.700,00 mensais essa também já foi batida, sem contar o valor do automóvel e tenho a projeção de que irá alcançar no mínimo 170% esperado no ano.


Aproveitar a vida


Como mencionei acima gosto muito de viajar e conhecer novos lugares. Sendo assim, esse mês realizei a compra de um final de semana em um hotel fazenda e uma viagem internacional (Argentina).




O final de semana no hotel fazenda será ainda nesse mês. Consegui um preço muito bom para o casal em um chalé com todas as mordomias possíveis. Paguei o valor de R$400,00 sendo de sex-dom, com café da manhã incluso. O melhor de tudo é que como sempre a conta foi divida com a onça e assim não gastarei rios de dinheiro sozinho.


Já peguei referências com amigos que foram nesse local e todos me falaram que os preços praticados por lá como almoço, jantar, porções, bebidas e outros e muito bom. Para se ter uma ideia um Filé à parmegiana para o casal sai por R$42,00, acompanhado de uma Brahma 600 ml R$8,00. 


Sem contar às atrações que o local oferece como passeios ecológicos, trilha de bike, passeio a cavalo, pesca esportiva, entre outros.


Argentina(Buenos Aires)


Quanto à viagem para Argentina ficou marcado para Outubro, optei por pagar de 3 vezes e o valor total incluindo hotel com café+vôo+translado+city tour, saiu por R$3.900,00 com taxas, o período foi de 6 dias. Optei por comprar pacote, pois será minha primeira viagem para fora do país então prefiro pagar um pouco mais pela experiência do que me aventurar com mulher em um país desconhecido.


Para muitos que aqui passam essa viagem pode ser clichê, chata, sem graça, pois esses já conheceram locais muito mais requintados, mas saibam que para mim é a realização de um sonho sair desse país mesmo que por alguns dias. Não vejo a hora de ir para lá.


Nunca andei sequer de avião, então será uma novidade também. A namorada também nunca viajou então estamos muito ansiosos. 


Dá mesma forma foi tudo dividido em partes iguais. Tenho o valor para pagar à vista no meu fundo de emergências para pequenas despesas (não mexe nos investimentos, tampouco no colchão de segurança) é uma conta que possuo para isso e aporto nela algo e torno de R$400,00 mensais. E querem saber, a danada está bem recheada ao ponto que espero trocar de moto quanto voltar ou talvez comprar o mesmo carro que vendi no ano que vem.





É isso pessoal, novamente peço a opinião de vocês sobre esse último destino. Claro que irei postando mais sobre a minha ansiedade, tentarei postar lá, e quando voltar. Obrigado a todos!




sexta-feira, 14 de julho de 2017

A experiência mais surpreendente que tive esse ano





Ontem não tinha nada para fazer depois do serviço (como sempre está acontecendo) e sabendo dessa situação a namorada me chamou para irmos a uma padaria próximo a empresa dela. 


De início fiquei meio surpreso pelo convite, pois já era noite, acredito que 19h e quem convida alguém para ir à noite em uma padaria. De qualquer forma aceitei o convite já que sabia que iria para casa dela e dormiríamos juntos.


Deixei a motoca lá e seguimos em seu carro. Fomos em direção a um bairro tradicional e nobre, desses em que todos os acostumados com arquitetura de periferia ficam boquiabertos ao passar em frente a residências cuja ornamentação do muro dá para comprar uma pequena kitnet.


No caminho ela me contou que gosta muito de ir nessa padaria e logo eu a indaguei o que teria de interessante, pois até o presente momento a imagem que tinha em mente de padaria era algo sem muito glamour.


Ao pararmos em frente a onipotente construção de dois andares com jardins de inverno ao redor circulado por um parapeito de inox preenchido pelo mais belo e puro vidro temperado, que eu compreendi o motivo da minha donzela querer frequentar aquele ambiente.


Antes de entrar eu imaginei que era um restaurante daqueles que se vê nos filmes, muitas vezes avaliados por críticos gastronômicos  que após se deliciarem da receita secreta dos chefes que fizeram cursos na França o agraciam com algumas estrelas do guia “Michelin”:


“É o guia de referência de hotéis e restaurantes. Impresso com o máximo sigilo e com tiragem desconhecida, este guia é o mais respeitado do mundo[4] e premia os melhores restaurantes, classificando-os com estrelas (de 1 a 3) e que representam o sonho ou o pesadelo de qualquer chef. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e dos seus chefs ao passo que perder uma delas pode levar até a uma tragédia como a do chef Bernard Loiseau que se suicidou[5] em Fevereiro de 2003, com um tiro na cabeça aos 52 anos, desesperado com o rumor de que o seu estabelecimento perderia a classificação de "três estrelas" no Guia Michelin.”



Adentrei ao local e agradeci por andar bem visto a maior parte do tempo, pois se fosse ao contrário estaria totalmente incomodado. No primeiro andar havia todas as comidas que uma padaria pode conter. Era de dar inveja a muito Resorts. A parte de pães, bolos, biscoitos, não consigo descrever a quantidades de opções que havia naquele local.


No segundo andar escutei uma música ambiente que vinha por todos os lados em um lindo e bem decorado salão com cadeiras estofadas. De um lado havia ilhas com vários tipos de comidas, como japoneza, caldos, e outros que não me arrisco dizer de qual parte do globo foram criadas.


Mais ou menos isso



Havia também no dia um rodízio de pizzas e massas. Sem contar a mesa de café colonial que ainda estava posta em decorrência do horário que acabara de anoitecer.


Sentamos e fique receoso com os valores praticados, já que na entrada você recebe uma comanda em que os preços não são especificados, porém fiquei tranquilo já que com essa mulher ao meu lado tudo é pago separadamente ou na pior das situações divididos de forma equânime.  


Pedi uma cerveja e ela um refri. Pedimos apenas uma fatia de pizza cada um, já que não queríamos participar do rodízio. Comemos e estava deliciosas. Logo após como estava frio a namorada foi pegar duas tigelas de caldo de feijão que estavam ótimas também.


Como ainda estava bebendo cerveja após o caldo peguei alguns frios no “Buffet” e a namorada sobremesa. 


Fiquei observando o público que entrava e percebi que realmente são pessoas que possuem boa capacidade financeira. No estacionamento não havia muitos carros de luxo, contudo, todos que desciam do carro tinham a cara da nobreza. Ora pelas vestes, outrora pelo modo de portar e conversar, o tratamento, ou seja, pessoas bem educadas.


Pensei naquele momento que aquele ambiente é o que tenho que freqüentar para poder ter mais sucesso, o ambiente que estimula você a crescer e tem contato com pessoas melhores. Ali você pode conseguir contatos futuros para alguma situação, ou vislumbrar nichos de mercado para poder atuar e atender um público especifico. 


Agora na padaria da favela isso não irá acontecer e o máximo de sentimento em que você irá adquirir é o de negatividade, pois a grande maioria de pessoas da classe baixa só sabem ficar reclamando e lamentando na hora que encontram algum conhecido.


Ao final da agradável estada, após algo em torno de 1h40min fomos embora e aproveitamos para comprar um bolo e uns biscoitos. Visualizei o caixa e estufei o peito ao entrar na fila, kkkk.


Passamos a comanda e no final paguei exatos R$28,00 e a namorada R$30,00. É isso mesmo pessoal, bebi, comi, aproveitei o ambiente levei comida pra casa e não deixei nem R$30,00, foi incrível.


Voltarei mais vezes lá para saborear esse momento, principalmente nos dias em que estiver para baixo, pois rapidamente a autoestima é elevada nessa situação (pelo menos para mim).





quinta-feira, 13 de julho de 2017

Indicação de compra feita por leitores (Ficar mais rico)





Passando para agradecer aos amigos que me ajudaram indicando livros e dispositivos para leitura. Post Aqui com várias dicas de livros


Depois de muito pesquisar cheguei à conclusão que um leitor de livros digitais seria a melhor opção para mim. Gosto muito de ler e sempre gasto algum dinheiro mensalmente com a aquisição de algum livro. Mesmo que uns R$10,00, mas no final do ano já é uma quantia razoável. 


Pensando nisso decidi comprar um KINDLE da Amazon. Ele parece muito com o livro de verdade é leve e bem fino. Fui à loja experimentar e gostei do que vi. O melhor ainda ele não descarrega a bateria fácil, um amigo informou que já durou até 2 meses. E sem contar que posso baixar os livros pela internet.


Com ele poderei ter acesso a milhares de livros que seriam de difícil aquisição principalmente pelo valor que seria gasto. Dessa forma irei economizar para ter acesso a obra dos maiores investidos e criadores de paradigmas que já existiram.


O único problema que percebi é que ele não abrange todos os tipos de arquivos disponíveis e o mais famoso “epub”, porém existem vários programas que convertem esses arquivos para um modo compatível do Kindle.


Agora vamos ao modelo e preço. Como sou econômico optei pelo mais barato. Porém não quer dizer que é ruim e realmente atendeu a minha expectativa, já que ele é da 8 geração.


Achei o preço mais em conta na loja virtual (nem sabia que existia) C&A pela bagatela de R$208,01, tendo em vista que na própria loja da Amazon está por R$299,00. O segundo melhor preço foi no Ricardo Eletro através do busca pé e sai em torno de R$243,00. Vou deixar a foto e especificações.









Obrigado a todos.




terça-feira, 11 de julho de 2017

Quero grana no meu bolso!


Olá companheiros da grande e honrosa batalha da riqueza, venho mais uma vez nesse local para escrever um pouco, já que não tenho mais nada de interessante para fazer. Estou meio estagnado ultimamente no que se refere à produção fora do ambiente de trabalho. Parece que sou programado para produzir algo quando acaba minha jornada diária, pois sempre tive compromissos pós-serviço, como faculdade, cursos, entre outros.


Esse mês não estou fazendo nenhuma dessas tarefas listadas acima dessa maneira sinto um vazio grande já que estou com tempo ocioso. Será que é reflexo da grande cobrança que nos é imposta no ambiente de trabalho diariamente? Apesar de alguns leitores não acreditarem, eu insisto em dizer que nós do setor público trabalhamos pesado sim, claro que nem todos, mas até em empresas privadas alguns setores ou cargos são menos exigidos, não é mesmo?


Certo é que preciso de alguma ocupação ou vou pirar. Já pensei em praticar mais o violão que comprei há uns 3 anos e ainda não toco nada, kkkk. Mas não me chamou a atenção.


Estudar para concurso também não é uma opção nesse momento, pois não vislumbro uma luz no fim do túnel tão cedo, não para o cargo que almejo pelo menos.


Estou lendo alguns livros que tenho em casa, que por sinal são bons, mas a maioria é literatura policial estrangeira e o enredo por mais criativo que o escritor seja, parece o mesmo sempre. As histórias se baseiam em alguma situação urbana que em um determinado momento houve um homicídio e ninguém sabe quem é o executor. Após infindáveis suspeitas, em um ardiloso e “envolvente” silogismo o autor desvenda o autor por meio do protagonista.


Dessa forma comecei a ler algo relacionado aos investimentos e mesmo batido e muito comentado pelos colegas, com várias opiniões distintas, estou lendo o “segredo da mente milionária”, estou na página 32 e o que posso falar do livro? Bem ele parece autoajuda até agora e não vi muita pratica. Lembra muito o "Best Sellers" “o Segredo”, em que consiste pensar como quer ser e positivamente. Pode ser que esteja enganado (e quero estar) e mais para o final ele apresente talvez algumas soluções praticas para agregar valor (literalmente) a minha conta de investimentos.





Estou querendo ler outro livro, caso alguém já tenha apreciado a leitura favor informar a experiência e se chama “trabalhe quatro horas por semana”.


Leitura sempre é bem vinda, mas como estou meio ligado em produzir dinheiro não estou muito empolgado. Acredito que seja reflexo da carga horária que tive mês passado e a recompensa nos volumosos aportes. Da forma que estava eu vi que poderia deslanchar no quesito ganho de tempo para atingir uma cifra mais vultosa o que por consequência aumentaria a minha renda passiva e me deixaria mais feliz.


Só para constar não me sinto cansado depois que trabalho e como gasto pouco tempo no deslocamento, cerca de 10 minutos cada trajeto, entendo que estou no ápice da produção e como não estou realizando nenhuma tarefa rentável fico meio sem lugar.



Muitos de vocês devem sentir isso também né. E o que fazem para passar? Divida com todos os leitores!


quarta-feira, 5 de julho de 2017

O que você faria hoje se ficasse desempregado?





Já me peguei pensando nesse assunto algumas vezes nas diversas fases da minha vida. Algumas com maior frequência, outras nem tanto. Normalmente o que me estimulou a ter esse tipo de pensamento foi o meu ambiente de trabalho e as ideias de sair daquela situação eram inversamente proporcionais ao quão feliz me sentia.


Sem sombra de duvidas muitos amigos que me acompanham se pegam com esse tipo de pensamento, até por que a grande maioria aqui busca a tão falada Independência Financeira para poder fazer o que quiser e na hora que bem entender sem ter que depender do dinheiro tão suado fruto da labuta diária.


Acontece que algumas pessoas não se veem trabalhando para si e creem só conseguir auferir alguma renda se for remunerado por alguém. Vejo isso com bastante preocupação, pois desde cedo aprendi e vi que o homem tem que ser autossustentável, ou seja, deve ser capaz de gerar sua própria renda, riqueza, comida, etc., digo isto, pois acredito que seja da nossa essência. 


Imaginemos uma situação improvável em que o mundo fique próximo ao seriado “The Walking Dead” (está soando absurdo, essa é a intenção) e com o apocalipse você tem que se virar para sustentar sua família, o que vai fazer? Ficar choramingando igual uma mocinha e deixar todos padecerem de inanição ou se virar nos trinta e ir à luta, como caçar, plantar, colher furtos, realizar escambos e outros atos inerentes a sobrevivência.





Pode parecer loucura, mas vejo o mercado atual como algo bem parecido onde todos os corajosos correm atrás do seu objetivo para ter o melhor para seus pares. 


Dessa forma eu respondo a pergunta feita no título do tópico. Caso eu ficasse desempregado eu não iria atrás de emprego nenhum, ou seja, iria me virar e ser dono do meu tempo e empenho. Iria trabalhar para enriquecer somente a mim e não algum sugador.


O próprio curso superior que conclui por natureza se perfaz em uma profissão em que há profissionais liberais por essência, ou seja, você pode - e deve - trabalhar para si ou no máximo criar sociedades com poucos amigos.


Mas na verdade se não tivesse meu emprego eu iria empreender, já tenho experiência e provavelmente abriria um comércio e vou revelar qual. Uma padaria. 


Todos que conheço que tem padaria se dão super bem. Iria fazer um curso pelo sistema “S” que é barato ou de graça e com meus 60k abriria tranquilo uma simples e humilde padaria e com o tempo iria incrementando. Faria um estágio gratuito nas padarias dos meus amigos com o fim de conseguir mais experiência e saber de fato a rotina. E no final me daria super bem, não tenho duvidas. Então por que não faz isso Lawyer? Por que tenho um cargo meia boca que paga mais de 5k e ano que vem pagará 6k. 


E para provar que não fico parado eu faço meus bicos, vendo meus ouros e quaisquer tranqueiras que aparecer e eu visualizar expectativa de lucro.


Digo mais aos colegas, quem ganha pouco ou está desempregado procure vender alguma coisa, desde laranjas em sacos no farol a produtos eletrônicos de baixo valor, como essas caixinhas de pen drive. Já vendi guarda-chuva em ponto de ônibus. Comprava uma caixa com, o preço unitário de R$2,30 na época e vendia quando armava chuva a R$8,00, não sobrava um. Já vendi verduras de folha na rua e não me envergonho nem um pouco por isso. Com 12 anos comprava o pé de alface a R$0,08 e vendia 3 por R$0,50. Em uma manhã faturava algo em torno de R$10 a R$15 líquidos, levando em consideração que era um pirralho e o salário mínimo da época era R$136.


Por fim, galera essa pelota que temos acima do pescoço tem mais utilidade do que somente balançar respondendo sim ou não para algum patrão. Espero estimular a galera a mudar de vida.


Depois vou escrever como um familiar mudou do lixo para o luxo em plena crise de 1998 sem estudos e quebrado é de arrepiar.