terça-feira, 11 de abril de 2017

A pessoa só não é rica por que não quer!




Estava conversando com um amigo de infância e depois de rememorarmos diversos acontecimentos que marcaram aquele período começamos a analisar qual rumo tomou os outros amigos que não estavam presente no momento. Dentre vários que foram citados e - com certeza as orelhas queimaram – lembramos-nos do boneco. Bonecão ou simplesmente boneco era um menino muito ativo e com compleição física avantajada em relação aos seus contemporâneos, isso se deve a genética herdada de seu pai, homem sisudo de personalidade e pedreiro de profissão.


Desde cedo boneco ajudava o pai nas obras que pegava, principalmente em nosso bairro que era nada mais que uma fazenda antiga fatiada por ruas tortas, resultado da falta de controle e expansão demográfica inexistente naquela região nos anos 80.


Nessa época havia muitas oportunidades de emprego, dessa forma não era muito comum o cidadão exercer profissão autônoma, já que qualquer galpão te empregava por alguns salários mínimos. Recordo-me que a maioria das crianças sentia orgulho quando falavam em sala de aula que o pai trabalhava na empesa “x” ou “y”. O forte no cinturão metalúrgico do meu Estado é a indústria automobilística. Era uma verdadeira disputa no colégio e não poucas vezes saia alguma briga quando o assunto era qual o patriarca era mais bem empregado.


Claro que havia alguns requisitos para o candidato a vaga ser empregado, nada muito difícil, era apenas um filtro básico para se ter certeza que aquele operário não era uma pessoa totalmente sem instrução. Na verdade o quesito principal era ser alfabetizado e só. O que o pai do boneco não era, por isso teve que trabalhar nas construções civis da vida.


Boneco sentia vergonha de ter o pai naquela situação. E como as crianças são seres sem escrúpulos no quesito zoação eles não perdoavam. Dessa forma, boneco cresceu querendo que seu pai fosse um daqueles funcionários, no entanto, a vida não o permitiu e como pedreiro continuou.


Nessas idas e vindas boneco por hábito também aprendeu o nobre oficio do pai e com isso começou a ganhar o pão, mesmo à contra gosto. Acredito que por isso caiu na vida boemia e se entregou para o álcool o que o deixou de dar tudo de si para construir um verdadeiro império, já que seu senso crítico e seu comprometimento com o trabalho eram de um zelo sem igual e longa era a fila de espera dos clientes abastados que boneco angariava a cada linda obra entregada.


Porém como já expliquei ele pisava e ainda pisa na bola com alguns contratantes, não por ser má pessoa. Longe disso. E sim por não saber controlar o emocional e financeiro. Ele é uma pessoa que recebe muito bem pelo que faz, no entanto, assim que vê a cor do dinheiro, cai na noite e não para enquanto não gastar tudo. Assim não sobra ânimo nem saúde para trabalhar mais e manter o negócio girando.


Meu amigo e eu fizemos nossas contas e descobrimos que boneco, como pedreiro de acabamentos (pisos) cobra cerca de R$30,00 reais o m². Caso ele assente 15m² por dia ele ganharia trabalhando 25 dias por mês o equivalente a R$11.250,00. Ou seja, o que se acha derrotado de hoje, se fosse comprometido ganharia mais que todos, EU DISSE TODOS, os amigos que cresceram juntos. E já ouvi relatos que ele assentava até 25m² por dia. Imaginem a quantidade de dinheiro que esse homem deixa de ganhar.






Isso serve para vermos que o mundo é dinâmico e nem tudo que hoje te dá um “status” permanece pelo tempo. Os metalúrgicos daquela época hoje ganham em torno de R$2.100,00 por mês, e isso não é nada comparado a um pedreiro.



Em relação ao pai do boneco, ele fez sua aposentadoria em casas de aluguel, hoje possui 5 e vive dessa renda. Vários amigos que esbravejavam aos quatro cantos que o pai era dessa ou daquela empresa não tem nada mais que um único barracão onde morou a vida inteira e ainda divide com os filhos e as respectivas esposas e netos que esses trouxeram.


19 comentários:

  1. Gostei a história. As tendências mudam, um exemplo são os cursos de graduação, onde engenharia estava listado como um dos mais concorridos. Hoje a maioria das pessoas estão em busca de cursos como Medicina, Odontologia, Direito, e Administração. E quem se graduou em engenharia recentemente se deparou com um mercado não tão amplo como há alguns anos atrás.

    E também concordo com o título do texto, porque acredito muito na força de vontade do ser humano. Enfim, vamos pra luta!
    Add ao seu blogoroll, e apreça lá no Chat!
    http://finansferachat.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu aqui de social ganhando mues 5 e poucos k. Brincadeira né Einstein.

      Vo lá nesse chat.

      Excluir
  2. Rapaz, cara bom em construção civil ganha de qualquer diplomado por ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esse tipo de prestação de serviço está com preço de ouro.

      Excluir
  3. Me lembrou o post do mestre dos centavos, falando sobre carrinho de pipoca... fiquei altamente tentado a colocar uns carrinhos na rua, é uma grana limpa e fácil de tirar.

    Cada vez mais trabalhos manuais terão mais valor daqui pra frente, as máquinas e a inteligência artificial já estão roubando empregos menos qualificados, e a tendência é só aprofundar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema dos carrinhos de pipoca é que provavelmente a prefeitura deve liberar somente para um cpf de ambulante.
      Assim fica difícil realizar uma ação empresarial.

      Excluir
    2. Vou dar uma pesquisada na legislação municipal sobre isso...

      Excluir
  4. Aqui onde eu moro próximo cerca de uns 10KM tem uma grande empresa do setor químico, os operadores químicos (peões) começam ganhando 6k e cheio de benefícios, mais que muitos formados rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá é doido, até eu queria essa bocada, mas pra ser bom assim vc deve sair cheio de zica ne. Tipo indústria nuclear estilo simpsons, kkkk.

      Excluir
  5. ai voce fala isso diretamente pro cara se controlar e ainda sai como o cuzao da historia.. hahaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é potencial capitalista totalmente desperdiçado, vai entender.

      Excluir
  6. Lawyer, pedreiro é uma das profissões de gente sem estudo (estou generalizando) que mais da grana! Acho que mecânico também!

    Ah, se puder ir lá no meu blog complementar o seu comentário, ficaria grato!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou sim, estou com a novinha na piscina esses dias e aqui a net é fraca, assim que de passo la.

      Excluir
  7. Legal a história.

    Uma pena o desperdício de potencial desse cara.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é madruga se desse pra eu comprar o passe.

      Excluir
  8. Quem sabe o seu amigo Boneco não seria uma boa companhia para Vanessa, a estagiária? Lá do blog do Seu Madruga Investimentos !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk, pode ser quem sabe não rola uma troca de contatos entres eles.

      Excluir
  9. Meu pedreiro mordeu 13 pau em um mês -.-

    ResponderExcluir